Micro Corrupio para viagem

micro-corrupio

Pequenos livros são como pequenos receptáculos de idéias. Na internet, temos o Twitter e outras ferramentas de microblogging que nos obrigam a sintetizar as idéias em poucos caracteres. Tarefa complicada para quem costuma escrever prolixamente.

Os micro-corrupios, uma série super-limitada e esporádica de pequenas esculturas de linha e papel podem ser considerados os análogos das ferramentas de microblogging. O pouco espaço de cada página serve para pequenas anotações, talvez até um rascunho para os seus tweets, antes de publicá-los na rede.

E para enviar os micro-corrupios aos seus futuros proprietários e colecionadores a Corrupiola desenvolveu essas práticas embalagens de folhas de papelão. Assim chegam protegidos ao destino final, prontos para transformarem-se no suporte para um micro-conto, uma pequena história em quadrinhos ou um flipbook.

micro-corrupio

Veja nesse vídeo do Vimeo como retirar os micro corrupios da embalagem.

Folhas simples com costura copta

experiencia-1-folhas-simples

Geralmente costuramos livros unindo cadernos. Cada caderno é composto de 4, 8, 16 ou mais páginas, sempre múltiplas de 4. São os chamados folios, quartos e octavos, que unidos também podem ser chamados de seções. No entanto, existem alternativas para costurar folhas simples, não cadernos. Um processo desse tipo é necessário quando desejamos unir folhas rígidas de papelão corrugado, como no exemplo acima, onde utilizei uma costura copta, com quatro agulhas. Procurei selecionar folhas de papelão com símbolos comuns neste tipo de embalagem e, com a ajuda de fita dupla-face, forrei a capa com um esquema em explosão de um dispositivo mecânico e a contracapa com o quadro de uma revista e quadrinhos. Se existe uma narrativa, apenas o manipulador do objeto poderá decidir.